Cachaçaria possui diversos selos de cachaças brasileiras e outras bebidas internacionais

Novo Engenho Dedé apresenta delícias da cozinha do Norte à capital mineira

O Restaurante Engenho Dedé chegou a Belo Horizonte com as delícias de um variado cardápio de comida brasileira, com destaques para a cozinha do Norte do país e a tradicional culinária mineira.

São 30 pratos e 28 petiscos, que incluem peixes amazônicos, camarões, carnes variadas, a inigualável costelinha do Dedé; o joelho de porco pururucado, de qualidade muito superior aos similares preparados à maneira alemã, pelo modo de preparo uniforme; sem falar na carne de sol, considerada a melhor do Brasil, que vem acompanhada de ingredientes das cozinhas nordestina ou mineira.

Tem ainda um empório com uma infinidade de doces, bombons com todos os tipos de recheio, mais de 30 variedades de queijo, conservas e castanhas. Tudo isso pode ser acompanhado de cachaças com selos de alta qualidade e cervejas artesanais produzidas pela marca Dedé – destaque para a cachaça Jambucana e para a cerveja de Jambu, uma erva indígena amazônica – ou por parceiros reconhecidos, como a Cervejaria mineira Krug Bier.

A marca Dedé, aliás, reúne produtos de excelência como, por exemplo, o azeite e o bacalhau, trazidos das melhores casas portuguesas. E para que os funcionários do restaurante proporcionem o melhor atendimento, a direção da rede – que conta com 4 restaurantes nas cidades de Manaus, 1 em Fortaleza, 1 em Belém e agora nossa mais nova casa em Beagá – investe em treinamento e qualificação.

Mesmo antes da inauguração, ocorrida nesta terça feira (16), os garçons e cozinheiros foram orientados em palestras, por profissionais de sucesso em seus ramos de atuação. Foram ensinamentos sobre o preparo de drinques variados e personalizados, uso e características do azeite e do bacalhau, tipos de vinhos e suas harmonizações.

No caso do azeite, por exemplo, o Restaurante Engenho Dedé serve a sua própria marca, produzida há mais de cem anos por uma família portuguesa, que mantém a Ourogal, empresa que produz 400 toneladas/ano do azeite extra-virgem e que exporta para toda a Europa, Estados Unidos, Brasil e, futuramente, Emirados Árabes. O processo de produção de azeite a frio é todo controlado, do plantio ao envasamento, o que garante o certificado de excelência e a diferenciação em relação a outros concorrentes. André Lopes, representante da empresa que veio ao Brasil especialmente para a inauguração do Restaurante Engenho Dedé, explicou a mais de 30 garçons e cozinheiros, como a oxidação pode provocar perdas de qualidade no processo de produção. Falou também sobre harmonização e rebateu o mito de que a qualidade do azeite depende apenas da acidez.

A palestra sobre bacalhau foi ministrada por Pedro Henrique dos Santos Pereira, diretor comercial da Brascod do Brasil, que representa o Grupo Rui Costa e Souza, líder mundial nesse mercado. Ele explicou aos funcionários, as diferenças entre os tipos de bacalhau; a importância da cura pelo sal, para que o peixe alcance a melhor qualidade e o melhor paladar; as especificações dos melhores bolinhos de bacalhau (que têm entre 40% a 42% do bacalhau em sua composição, na forma gourmet) e os processos que antecedem a chegada do produto à mesa do consumidor.

O grupo representado por Pedro Pereira é fornecedor de bacalhau e derivados de primeira qualidade para os restaurantes da rede Dedé. O superintendente da rede, Sidnei Dutra, explica que o treinamento e a capacitação dos funcionários compõem a mentalidade do grupo. São diferenciais imprescindíveis no atendimento ao público, porque conhecendo os produtos do restaurante, eles podem passar orientações importantes para uma experiência degustativa sem igual. E é exatamente por isso, que o Restaurante Engenho Dedé virou uma referência gastronômica e de bons serviços, em todo o país.